Federação

Os jogos de azar e o seu impacto na sociedade moderna

O jogo com dinheiro já existe há muito tempo, datando da China antiga. Naquela época, o jogo servia como uma forma básica de entretenimento disponível para quase todos, pois não era preciso apostar apenas dinheiro para participar, mas também pertences pessoais, comida ou propriedade.

O jogo na sociedade moderna

No mundo de hoje, a ideia permanece a mesma, mas o papel global dos jogos tornou-se um pouco mais complexo. Num mundo onde o capitalismo e a afluência geral reina suprema, as pessoas jogam não só para ganhar dinheiro, ou para se divertirem, mas para fins totalmente diferentes. Estas são apenas algumas das razões para visitar alguns dos estabelecimentos de jogo mais famosos do mundo actualmente, tais como um do casino portugal online.

Como os casinos o ajudam na sua vida diária

Antes de mais, é um atenuante do stress

A vida humana tornou-se muito mais activa e, ao mesmo tempo, mais longa, mesmo nas últimas décadas. As pessoas estão agora a trabalhar mais, a fazer mais actividades e a sofrer mais stress, o que pode causar todo o tipo de problemas de saúde. Assim, muitas pessoas jogam apenas para se afastarem do stress da vida quotidiana no trabalho e em casa, e apenas para se divertirem e se divertirem.

A FPDA-Federação Portuguesa de Autismo é uma pessoa colectiva de direito privado com a natureza de instituição particular de solidariedade social, com sede em Lisboa. Foi fundada em 2003 mas iniciou as suas actividades em Janeiro de 2004.
Tem âmbito nacional e substitui a organização nacional APPDA, Associação Portuguesa para a Protecção aos Deficientes Autistas (anteriormente denominada Associação Portuguesa para a Protecção às Crianças Autistas), fundada em 1971, membro da Associação Internacional Autisme-Europe desde 1988. A Presidente da Federação foi Vice-presidente do Autisme-Europe de 1990 a 2008.
Os membros da Federação são ONGs do desenvolvimento, sem fins lucrativos, Instituições Particulares de Segurança Social, parcialmente financiadas pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social. O restante financiamento é feito através das cotizações dos membros, donativos e patrocínios.
A Federação Portuguesa de Autismo deve promover e apoiar as iniciativas dos seus membros e ajudar a implementar novas organizações. Representa os seus membros junto das organizações públicas e privadas, portuguesas ou estrangeiras que perseguem os mesmos fins.

MEMBROS FUNDADORES:

APPDA-Lisboa, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Norte, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Coimbra, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
APPDA-Viseu, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo

 

 

MISSÃO
A Federação tem como missão a representação das Instituições suas filiadas por forma a defender incondicionalmente os direitos das pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo, adiante designadas por PEA e das pessoas com elas significativamente relacionadas e a promover e garantir o exercício desses direitos.
A fim de cumprir a sua Missão, a FPDA aposta numa Equipa competente, desenvolve metodologias de trabalho destinadas ao apoio aos seus Associados e assume o compromisso de cumprir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001, assim como a legislação e os regulamentos aplicáveis à sua atividade.
VISÃO
Ser reconhecida como a representante Portuguesa das associações de pessoas com perturbações do espectro do autismo (PEA)
VALORES
A Federação pauta a sua ação pelos valores da não discriminação, da solidariedade, da inclusão e do associativismo.
PRINCÍPIOS
A Federação respeita e dissemina os princípios consagrados na ordem jurídica nacional, designadamente na Constituição Portuguesa, e na ordem jurídica internacional, nomeadamente na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas e ratificada por Portugal, na Carta para as Pessoas com Autismo, aprovada no Congresso de Autism Europe e adotada pelo Parlamento sob a Forma de Declaração Escrita e Declaração Escrita sobre Autismo, tanto no que se refere aos direitos individuais quanto aos direitos Das organizações representativas dos titulares de interesses.

A melhoria de qualidade apoia-se na partilha de experiências, de conhecimentos e na cooperação dos membros da FPDA. Esta melhoria está integrada num processo contínuo, plenamente assumida por todos os órgãos dirigentes e pessoas, num compromisso pela melhoria contínua do Sistema de Gestão da Qualidade.

POLITICA DA QUALIDADE
É Política da Qualidade da Federação Portuguesa de Autismo garantir a satisfação dos seus clientes através de um comportamento eficiente que conduza a uma actuação eficaz em todos os processos do SGQ.

Os processos de formação e inclusão são conduzidos com o dinamismo necessário para atingir resultados inovadores que conduzam à mudança visando sempre a Política da Qualidade.
A melhoria de qualidade apoia-se na partilha de experiências, de conhecimentos e na cooperação dos membros da FPDA - Federação Portuguesa de Autismo. Esta melhoria está integrada num processo contínuo, plenamente assumida por todos os órgãos dirigentes e colaboradores, num compromisso pela qualidade.
As parcerias com outras organizações contribuem para que a FPDA - Federação Portuguesa de Autismo e os seus clientes desenvolvam uma cultura de qualidade na prossecução da Missão que se propuseram cumprir. Visam o enriquecimento do conhecimento comum e contribuem para o desenvolvimento das boas práticas que estão de acordo com as políticas comuns de inclusão e solidariedade, cultivando sempre a cooperação e o associativismo que têm como valores de base.